Verdade em Movimento

Princípios básicos da formação

As constelações familiares do espírito como “filosofia aplicada” e como “Mística Natural” vivenciada, o amor por todos e por tudo, como descrito por Bert Hellinger no seu livro com o mesmo nome (“Mística Cotidiana”, versão em espanhol). Em segundo lugar, o caminho fenomenológico do conhecimento, resumido de forma excelente por Bert Hellinger no livro “Verdade em Movimento”. Em terceiro lugar, a experiência da “Noite da Alma” e o caminhar por aquela noite, ao constelar. Ela tornou-se a experiência quotidiana de Bert Hellinger e toma-nos num movimento interminável de renovação.

Com os conteúdos seguintes, gostaria de abranger e transmitir o espírito do trabalho de Bert Hellinger. Eles giram em torno da sua filosofia e postura do espírito. Contudo, é muito importante para mim, a transmissão de uma mudança da prática das constelações familiares, seja no trabalho individual ou em grupo.  Gostaria de percorrer um caminho de renovação com todos os participantes, durante o qual questionamos a nossa atuação até então e nos submetemos a uma purificação interna.

“O que nos é oferecido neste caminho, deve beneficiar tanto os nossos clientes quanto as suas famílias:  “Ao serviço do amor e da vida” 
Bert Hellinger
Conceção e direção

Gerhard Walper pertence ao grupo especial de docentes que foram selecionados e formados diretamente por Bert Hellinger. Ele foi companheiro de jornada de Bert Hellinger durante 25 anos e o encontro direto e a troca, durante este longo período de tempo, marcaram e enriqueceram-no.  Tornou-se um dos principais consteladores familiares e formadores do mundo, um testemunho contemporâneo de todo o caminho das constelações familiares. Ele transmite, de uma forma única, as constelações familiares do espírito, com total respeito pelo seu fundador Bert Hellinger e pelas suas ideias inovadoras.

“No meu trabalho, sinto-me muito ligado a Bert Hellinger. Tê-lo conhecido a ele, a sua sabedoria e amor, preenche-me de uma imensa gratidão. Sinto-me comprometido com o seu trabalho e o seu espírito. Dá-me um enorme prazer ensinar e continuar a desenvolver as constelações familiares, conforme a sua vontade, de uma forma nova, silenciosa e reservada.”
Gerhard Walper
Objetivos e tópicos fundamentais
Formação em Constelações Familiares do Espírito (Bert Hellinger), como “Filosofia aplicada”, como “Mística Natural” vivenciada e “Ciência do Amor” aplicada à vida
Acompanhamento e apoio profissional de consteladores familiares
Aprofundamento e aprendizagem com base na herança espiritual, que nos foi legada por Bert Hellinger
Consolidação do que os consteladores já aprenderam e integraram no seu trabalho
Orientação dos facilitadores para uma base renovada, uma renovação e um aprofundamento no espírito e na filosofia de Bert Hellinger
Introdução à “Noite dos Sentidos, do Espírito e da Vontade” (Bert Hellinger)
Uma nova força e inspiração para o próprio conhecimento e a própria experiência, através da repetição e do aprofundamento das perceções essenciais, também na prática
Apoio a consteladores em casos de crise e de burnout 
Ajuda para “ajudantes impotentes”, através da supervisão e constelações pessoais
Ampliação das próprias competências, através do caminho fenomenológico do conhecimento
Recolhimento, vazio, reverência, silêncio – como resultam, o que afasta disso
Ampliar e transcender os limites da ação, da consciência e do amor
Constelar de forma diferente, atuar de forma diferente, amar de forma diferente
De modo extremamente recolhido, sustentado pelo TUDO-Amor, conduzido de outro lugar
Prática, troca, constelações sob supervisão, feedback do seu próprio trabalho de constelações

Supervisão de situações difíceis de aconselhamento, constelações, também ensinamento de constelações e demonstrações, bem como exercícios em pares, vão ajudar a integrar os temas na própria prática de constelações. Em cada módulo, há a possibilidade de praticar.

Literatura

Bert Hellinger: Mistica cotidiana” (edição em espanhol)
Bert Hellinger: :”La Verdade en Movimiento” (edição em espanhol)
Bert Hellinger: “A Cura”
Bert Hellinger: “Pensamentos sobre Deus” (edição em português) 
Bert Hellinger: “Conflito E Paz – uma resposta de Bert Hellinger” (edição em português) 
Bert Hellinger: “Viagens interiores” (edição em português)
Jiddu Krishnamurti: “Em comunhão com a vida – conversas em Saanen 1964” (edição em português) 
Jiddu Krishnamurti: “Freedom from the known” (título original)
Jiddu Krishnamurti: “As últimas palestras em Saanen 1985”
Lao-Tse: ‌”Tao Tê King“

Temas e visão geral

Os diferentes módulos da formação podem ser frequentados autonomamente, sem uma sequência definida, pois cada módulo vale por si. Portanto, a formação pode ser iniciada em qualquer momento. No final da frequência dos 6 módulos (6 temas) será entregue um certificado de conclusão e em cada módulo os participantes recebem um certificado de participação.

TRAIN THE TRAINER 1
“As constelações familiares são diferentes atualmente”
TRAIN THE TRAINER 2
“O caminho fenomenológico do conhecimento – ciência e sabedoria
TRAIN THE TRAINER 3
“Sem-pai: Mística Natural versus Transfiguração mística”
TRAIN THE TRAINER 4
“A parte sombria e violenta de cada pessoa e da família à espera de cura”
TRAIN THE TRAINER 5 
“A noite escura, o Tao e o Não”
TRAIN THE TRAINER 6
“Conflito, reconciliação, paz: A vontade de extermínio e Tudo-Amor”
TRAIN THE TRAINER – Especial
“Os empreendedores precisam de amor” (Bert Hellinger) A outra orientação empresarial e profissional 
Informações gerais

Os módulos podem ser realizados individualmente e estão abertos a todos.  

Deverá possuir já um conhecimento básico e uma certa experiência com o trabalho de constelações, seja no trabalho individual ou em grupo.

O curso “Train the Trainer” corresponde ao terceiro nível de formação.

‌Supervisão de situações difíceis de aconselhamento, constelações, também ensinamento de constelações e demonstrações, bem como exercícios em pares, vão ajudar a integrar os temas na própria prática de constelações. Em cada módulo, há a possibilidade de praticar.

Train the Trainer – 1 –
“As constelações familiares são diferentes atualmente”
  • Começar de forma diferente: em ressonância, nunca como pessoal, seguindo um impulso interior
  • Receber informação de outra forma: dos representantes e dos seus movimentos, sem palavras, a partir do silêncio, do que está oculto
  • Não “resolvemos”: amor e respeito pelo “não resolvido no coração” (Rilke)
  • Constelar de maneira diferente: como um representante de si mesmo, como um médium
  • Constelar sem o “Eu”, sem “o querer ajudar”
  • De modo não-diretivo e, ainda assim, agindo:  Atuar pela não-ação (Laotse) – não-verbal e extremamente reservado: “Do último lugar” (Bert Hellinger) 
  • O silêncio “fala” – só no silêncio a alma começa a falar… e os excluídos… o reprimido em nós… o não amado
  • Falar, explicar, analisar é um substituto para o amor – e uma fuga do que quer tocar-nos a nós ou aos nossos clientes
  • Assentir em vez de querer livrar-se: Tudo o que toca e move uma pessoa está “certo”, tudo o que acontece está “certo” e espera por amor e compaixão
  • “Só o amor liberta.” (B.H.) – Dar todo o tempo necessário ao amor – onde o amor chega, é-nos oferecido/mostrado o que ajuda – apenas o pleno amor liberta toda a dor, toda a tristeza,…
  • Constelar de forma diferente com casais: um mundo sem culpa, sem procurar culpa nem culpados
  • Por trás de tudo, atua o amor: por trás de todos os nossos assuntos, problemas, conflitos, doenças, dependências, comportamentos difíceis, etc.
  • Olhar sempre para o amor: se alguém é “bom” ou “mau”, ele é ambos por amor –
    “Todos os filhos são bons – e os seus pais também” (Bert Hellinger)
  • sem apaziguamento: Exagerar em vez de subestimar ajuda a olhar nos olhos do que é pesado e ameaçador: lidar de forma diferente com a agressividade, os impulsos assassinos, comportamento (auto-destrutivo)
  • Sem transferências (para o(a) companheiro(a)/um filho/o corpo/a empresa/a profissão…) – recuperar o que foi transferido com amor
  • Desapoderar as imagens internas e as frases que vão contra o amor e a vida
  • Como pela primeira vez – deixar para trás o próprio conhecimento e a própria experiência
Train the Trainer – 2 –
“O caminho fenomenológico do conhecimento – ciência e sabedoria”
  • Conhecimento detalhado versus visão geral
  • Verdade em movimento: todo o conhecimento é antigo, sempre apenas o próximo passo (Bert Hellinger)
  • Psicoterapia científica e fenomenológica, reproduzível ou única e imprevisível
  • Causa-efeito, ressonância e harmonia
  • Do conhecimento à sabedoria – da lógica ao conhecimento profundo 
  • Perceções paradoxais – perceções não ortodoxas – perceções fulminantes: “O conhecimento, que leva adiante, é ousado e novo…” (Bert Hellinger)
  • Ciência sem amor versus ciência do amor
  • A evolução de Bert Hellinger e das suas constelações em casos de doenças graves
  • A evolução do seu trabalho ao lidar com vítimas e perpetradores, culpa e inocência, expiação e vingança
  • Dos “movimentos da alma”, passando pelo “caminhar com o amor de Deus”, até aos “movimentos do espírito”
  • A “experiência de Deus” e o outro olhar (para a mãe, o pai, o(a) companheiro(a), etc.): ver o outro com os olhos do espírito
  • O “Tudo-Amor” e como muda a prática da constelação – amor e consciência
  • Olhar diferente para a vida e a morte, constelar diferente – o outro olhar para os mortos – a outra vibração dos mortos com a vida e os vivos
  • “Eu olho para além disso” (Bert H.) – a “luz distante” e os vivos e os mortos
  • A perceção mais apurada: reconhecer pela experiência, o que um “movimento” nos quer mostrar
  • A perceção interna mais apurada do “orientador” e do “orientadora”, guiada a partir de dentro: imagens internas, sentimentos internos, inspirações internas (palavras, frases, etc.) durante a constelação
Train the Trainer – 3 –
“Sem-Pai: Mística Natural versus Transfiguração Mística”
  • O movimento interno ao lado da mãe – o movimento interno ao lado do pai
  • A Mãe e o Céu – o Pai e a Terra
  • Pai, mãe, filho – crescimento e totalidade, autonomia e obstinação
  • “Espiritual” e “mental” – em direção a mais, em direção a menos
  • Desenvolvimento espiritual, o especial e o comum
  • “Para quem fui eu uma bênção hoje?” (Bert Hellinger) – “A melhor maneira de se encontrar
    é perder-se – ao serviço dos outros.” (Mahatma Ghandi) – Dador ou tomador?
  • Desenvolvimento espiritual e “experiência de Deus” na vida quotidiana: entregar-se ao serviço pelo amor – no relacionamento – como uma mãe comum e um pai comum
  • Mística natural vivenciada: ao serviço do amor e da vida dos nossos clientes e das suas famílias
  • “A sexualidade é o mais espiritual.” (Bert Hellinger) – Da arrogância espiritual à inversão para aquilo que nos sustenta.
  • Como o corpo está muitas vezes à frente do espírito (por exemplo, em doenças) – é o contrário:
    “A carne tem vontade e o espírito é fraco.” (Bert Hellinger)
  • Eu – Tu – Nós: Consciência e mente e o movimento para além do nosso “Eu”
  • O que sacrificamos? Sacrificamos as pessoas às nossas convicções (à boa consciência)
    ou sacrificamos as nossas convicções à compaixão e ao amor pelas pessoas?
  • Religiões da revelação e experiências religiosas humanas geralmente acessíveis a todos: “Eu não acredito em Deus, eu sei. (C. G. Jung
  • A mística natural começa para além de todas as tradições religiosas/espirituais
  • A verdade em movimento: “Não há nenhum caminho para a verdade… (nenhuma religião, nenhum professor, nenhum filósofo) A verdade é algo vivo que está em movimento.” (Jiddu Krishnamurti)
Train the Trainer – 4 –
“A parte sombria e violenta de cada pessoa e da família precisa de cura”
  • A outra forma de lidar com agressões nas constelações – dar todo o espaço
  • Doença e cura à luz das agressões e dos desejos de morte – e amor
  • Como a violência se volta para dentro e contra si mesma (por exemplo, doenças auto-imunes, comportamentos auto-agressivos, etc.)
  • Olhar com amor para a violência e para as pessoas violentas – assentir a própria atitude de violência
  • O outro lado da família: filhos vítimas no passado e atualmente
  • A preocupação e a sua sombra: “Tu por mim” e “Eu por ti”
  • Disposição para o sacrifício e burnout
  • Do movimento em direção à morte ao movimento de volta à vida
  • A mãe e o pai e a sua ligação com a vida e a morte
  • Os assassinos e o seu lugar – como a parte assassina encontra a paz na alma
  • Como afastamos o mal de nós (os assassinos, Hitler, etc.) – demónio e expulsão do diabo – “Uma família devota precisa de uma ovelha negra.” (Bert Hellinger)
  • Como afastamos o bem – a exaltação de indivíduos (“Santos”)
  • Vítimas e perpetradores e como se expressam nas famílias: doenças mentais, conflitos internos, comportamento auto-agressivo/doenças auto-agressivas
  • Vingança e expiação como substituição para a impotência e a despedida
  • A dupla transferência ao longo de gerações
  • “Onde o destino atua, e a humildade cura, e a impotência restabelece a paz…” (Bert Hellinger)
  • A parte assassina sob a forma de “justiça” 
  • A parte assassina na “conversão” dos outros – a parte assassina em competição
  • Luto coletivo, em vez de acusações: a dor, que reconcilia
  • A boa lembrança – o bom esquecimento
Train the Trainer – 5 –
“A noite escura, o Tao e o Não”
  • A Noite da Alma – A Noite dos Sentimentos – A Noite do Espírito (Introdução)
  • Permitir a insegurança, manter-se vivo no espírito, cada constelação como uma ousadia: “Uma pessoa segura de si é um ser morto.” (Krishnamurti)
  • Foco espiritual para além das tradições, rituais e “prática espiritual”
  • “Na insegurança, encontro segurança” (Picasso), olhar como pela primeira vez: sempre novo, sempre diferente, sem-plano
  • “Procurar” ou “encontrar” – como é que algo realmente vem à luz, se expressa?
  • Quem procura, quem encontra? – Como uma força espiritual nos permite participar na sua busca e no seu conhecimento.
  • “O que é, vem do Não.” (Bert Hellinger) 
  • O silêncio anterior – o silêncio posterior: “A música não começa com a primeira nota, mas sim com o silêncio que a antecede.  E não termina com a última nota, mas sim com o silêncio que a sucede.” (Giora Feidmann, clarinetista)
  • Quando/como começa, quando/como termina uma constelação: os sinais anteriores e posteriores, a partir do silêncio 
  • Ir mais lentamente e parar, para chegar mais rapidamente
  • Ao pararmos, a noite do espírito alcança-nos – da sua escuridão cintila o que guia adiante 
  • Saber esperar: suportar a noite do espírito ou fugir dela: entusiasmo, ser conduzido, (ter de) fazer 
  • Agir e atuar pelo “não fazer” (Lao Tse)”
  • … guardado… usado… posto de lado” (Bert Hellinger) – o que nos põe ao serviço e nos completa
Train the Trainer – 6 –
“Conflito, Reconciliação, Paz: Vontade de Extermínio e Tudo-Amor”
  • Os “pequenos” conflitos: na relação de casal, entre pais e filhos, na profissão/na equipa/na empresa, no próprio corpo (doença, agressões e guerras internas)
  • A “boa” consciência: todos seguem a sua própria consciência “boa” – e muitas vezes prejudicam os outros
  • O que é “bom” para uns é ameaçador para outros
  • O amor pelos rejeitados – a própria sombra está à espera
  • Conflito e tornar-se completo: o encontro com o que é rejeitado em nós na pessoa à nossa frente (companheiro(a), o próprio filho, amigos, colegas…)
  • Desenvolvimento pessoal e má consciência
  • Os “grandes” conflitos: “O que a guerra deixa para trás na alma” (Bert Hellinger)
  • Vontade de extermínio e vontade de sobrevivência
  • Em si e fora de si: o poder do grupo e da consciência do grupo
  • O equilíbrio ilimitado no pior: onde a nossa necessidade de equilíbrio se desvia e o mal se torna cada vez pior
  • Para além das imagens inimigas e da vontade de extermínio: sem entusiasmo, sem sentimento de superioridade
  • A despedida da justiça e a da boa consciência
  • O assentir de se tornar e cessar, da violência e injustiça – e da causa distante por trás de tudo isto
  • A guerra e a paz como parte do mesmo movimento do espírito: o primeiro passo para a paz é a declaração de guerra
  • ‌„Love ends all karma.“ (Sai Baba) – o Tudo-Amor
  • “O amor traz paz” (num bilhete no campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau)
  • Uma outra consciência: um mundo sem culpa nem culpados, sem excluídos nem escolhidos. Todos movidos e usados pela mesma causa, tão desejados e amados tal como são.
pt_PTPT